Data: 27/09/2021 Tags: Brasil | Celebridades | Abuso | Álcool | Reality | Live

Emissoras e classe artística erram ao promover o abuso de álcool

Imagem da internet (divulgação)

Em reality shows como "A Fazenda" e "Big Brother Brasil", um dos momentos mais aguardados pelos competidores e que mais rendem à edição é a festa regada a bebidas alcoólicas. Em "lives" de sertanejos, o álcool também ocasiona grandes catástrofes à imagem do artista e de seu patrocinador. Há sempre quem exagera na dose.

O resultado: corpos cambaleantes, quebra da timidez, maior liberalidade - e desabafos, discussões, gafes, vexames, crises de choro, flertes, às vezes beijos e até contato sexual. A noite etílica produz cenas interessantes para o programa ou para a "live". Mas pode arruinar alguns competidores e artistas.

Em "A Fazenda 13", o estado alterado de Dayane Mello, provocado por álcool em excesso, a deixou vulnerável e fez com que não se lembrasse de alguns momentos quando estava na cama com Nego do Borel, de acordo com o que relatou em depoimento à produção.

Após forte pressão da imprensa, das redes sociais e de patrocinadores do reality, o funkeiro acabou expulso sob o argumento de desrespeitar Dayane ao forçar intimidade debaixo do edredom.

"Existe uma regra no jogo que diz que qualquer atitude que possa colocar em risco um participante pode levar à expulsão. Por uma decisão jurídica do programa, ele tá fora", comunicou Adriane Galisteu, ao vivo.

Nas imagens viralizadas na internet e exibidas na noite de sábado (25/09), a modelo, mesmo grogue, pede ao cantor para parar com as investidas. "Eu quero dizer pra vocês: quando uma mulher diz não, é não. Quando uma mulher alcoolizada diz sim, também é não", explicou a apresentadora, elogiada na internet por seu posicionamento firme.

Nego do Borel errou, indiscutivelmente. Em respeito a Dayane e para sua autopreservação, ele deveria ter evitado aquela situação. Erram também produtores de "live", a Record, a Globo e as demais emissoras que estimulam o consumo livre de álcool nos realities, muitas vezes com o patrocínio de fabricantes. De que adianta apoiar campanhas contra o alcoolismo ou não fazer publicidade de bebidas alcoólicas, se permite que pessoas se alcoolizem diante das câmeras?

Na circunstância apresentada em "A Fazenda", como em outros programas similares, não se deve culpar quem bebe, e sim quem fornece a bebida, usada como gatilho para gerar entretenimento ao público. Episódios condenáveis como o visto na Record transformam o que deveria ser um divertido show de realidade em show de horror.

Após baixarias, patrocinadores abandonam "lives" e deixam artistas na mão


As "lives" sertanejas surgiram como opção de interação no período de isolamento social, além de estimular a permanência em casa e as doações para ajudar as vítimas do coronavírus. No entanto, a verdadeira proposta das "lives" tem sido esquecida, dando espaço a uma série de polêmicas e baixarias nas transmissões e bastidores.

Marcadas por muitas polêmicas e baixarias, algumas marcas estão desistindo de patrocinar as "lives" sertanejas. Um dos principais motivos é a rejeição do público quanto à postura dos artistas nas transmissões, que estão passando dos limites e provocando uma série de situações no mínimo embaraçosas.

Gusttavo Lima, que usa e abusa da bebida em seus shows e propaga falas um tanto quando pejorativas, Eduardo Costa, que deu um show de polêmicas na "live Cabaré" e até Bruno e Marrone, que se estranharam ao vivo, gerando desconforto no público, são bons exemplos de más condutas.

Marília Mendonça


No início de sua carreira, aos 21 anos, a cantora Marília Mendonça declarou em uma entrevista à UOL que "que não confia em gente que não toma pelo menos uma cervejinha", o que desagradou muitos fãs na internet e provavelmente aumentou a legião de odiadores (haters) que a cantora coleciona. Declarações como essa apenas reforçam o despreparo da classe artística em relação ao tema. Em nosso jornal muitas pessoas não bebem "pelo menos uma cervejinha", inclusive nosso editor-chefe, e são de total confiança.
Imagem da internet (divulgação)

Pix terá medidas de segurança para coibir sequestros e roubos

O aumento de casos de sequestros relâmpago e de roubos relacionados ao Pix fez o Banco Central (BC) introduzir medidas de segurança no sistema instantâneo de pagamentos. As alterações divulgadas em 27/08 também afetam outras modalidades de pagamento eletrônico, como a Transferência Eletrônica Disponível (TED), cartões de débito e transferências entre contas de um mesmo banco.

Imagem da internet (divulgação)

Papa João Paulo I, milagre reconhecido: Será proclamado beato

Nascido em 17 de outubro de 1912 em Forno di Canale (hoje Canale d'Agordo), na província de Belluno, norte da Itália, e falecido em 28 de setembro de 1978 no Vaticano, Albino Luciani foi Papa apenas por 34 dias, um dos pontificados mais breves da história. Era filho de um aperário socialista que trabalhava há muito tempo como emigrante na Suíça. No bilhete escrito pelo seu pai, dando-lhe o consentimento para entrar no seminário, lê-se: "Espero que quando você for padre, fique ao lado dos pobres, porque Cristo estava ao lado deles". Palavras que Luciani colocaria em prática durante toda sua vida.

Imagem da internet (divulgação)

CNBB pede punição a deputado do PSL que ofendeu o papa e bispo de Aparecida

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) encaminhou uma carta ao presidente da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, o deputado estadual Carlão Pignatari, exigindo punição ao deputado estadual Frederico D'Avila (PSL) por ter atacado a instituição e outras figuras religiosas.